16 Dicas para Captar Investimento para sua Startup nos Estados Unidos

Recentemente conseguimos fechar uma rodada de investimento para o AgendaZap com dois fundos de venture capital do Vale do Silício, e também entramos em um processo de aceleração lá. Foram muitos erros e aprendizados nesses últimos dois meses tentando realizar a captação. Abaixo eu os compartilho, pois imagino possam ser úteis a empresas e empreendedores que também estão buscando investimento ou pensam em buscar no futuro.

1. Entenda e aceite o jogo que você está jogando

Antes de mais nada reflita e tenha certeza que é este o caminho que você quer seguir. Se o seu objetivo é manter o total controle do seu negócio e ter um crescimento sustentável, talvez captar investimentos de fundos de venture capital não seja a melhor ideia. Investidores profissionais e VCs operam em uma dinâmica onde 90% das empresas investidas irão fracassar, mas os outros 10% tendem a garantir o retorno do fundo inteiro. Ou seja, eles estão buscando empresas que querem crescer em um ritmo frenético, quase que operando sob a mentalidade “ou vai ou racha”. Se essa não for a sua visão, uma hora ou outra isso pode virar um conflito entre você e seus investidores. Além disso, depois que você começa o ciclo de captação de recursos externos fica difícil parar, pois a dinâmica de crescimento da empresa começa a depender disso.

2. Busque investidores de todas regiões e países

Talvez nosso maior acerto foi não nos limitar a buscar investimento no Brasil. Se tivéssemos feito isso teríamos captado menos dinheiro, com valuation menor, e teria demorado muito mais.

Mesmo se o seu produto não for de fácil expansão internacional, investidores estrangeiros podem ter interesse devido ao enorme tamanho do mercado brasileiro.

3. O Vale do Silício ainda manda

A quantidade de dinheiro disponível e a propensão de fazer apostas mais arriscadas ainda são ordens de grandeza superiores no Vale do Silício em relação a praticamente qualquer outra região ou país do mundo. Ou seja, pode valer a pena concentrar os seus esforços ali.

A minha tese, no início do processo, era de que teríamos a mesma dificuldade em captar R$100.000 no Brasil ou $100.000 nos Estados Unidos, e foi bem por aí.

4. A pandemia derrubou muitas barreiras

Muitos fundos e investidores tinham a regra de conhecer pessoalmente as empresas e seus fundadores antes de fechar negócio. Com a pandemia isso mudou, e quase todo mundo agora está disposto a fechar negócio remotamente.

5. Delaware C Corp

Para captar investimento de algum fundo ou investidor profissional nos Estados Unidos vai ser necessário você abrir uma C Corp (equivalente a uma SA brasileira) no Delaware. Esse é o padrão. Qualquer outro tipo de estrutura, como por exemplo uma LLC, tende a melar o negócio.

Felizmente é relativamente rápido e barato para você criar essa empresa lá. Usamos o Stripe Atlas, que tem um custo de $500. Demos entrada em uma sexta-feira e na segunda da semana seguinte a empresa estava aberta.

6. Você vai perder o Simples Nacional

Via de regra a operação do Estados Unidos irá se tornar controladora da operação no Brasil, mas isso obrigará você abandonar a tributação pelo Simples Nacional e passar para lucro presumido ou lucro real. Avalie previamente o impacto tributário que isso irá causar na sua empresa.

7. Se prepare para ter vesting

Se optar por capitar nos Estados Unidos, se prepare para ter vesting nas suas ações (que já eram 100% suas aqui no Brasil!). Esse é o padrão lá, mesmo para os sócios, e quer dizer que você terá a obrigação de continuar trabalhando na empresa por alguns anos se quiser converter 100% das ações (o que é justo para com os investidores na minha opinião).

8. Se prepare para ter double acceleration

Single acceleration: Se a empresa for vendida todas as ações que ainda estão em vesting aceleram (ou seja, convertem imediatamente)
Double acceleration: a empresa precisa ser vendida e você precisa ser demitido para que a aceleração do vesting ocorra

Outra cláusula padrão é a de “double acceleration” para o vesting. Isso quer dizer que, mesmo se a sua empresa for comprada as suas ações não serão convertidas automaticamente. Você precisará continuar trabalhando para a empresa compradora até o final do seu contrato de vesting. Somente se a empresa compradora demitir você que as suas ações aceleram.

Não é uma cláusula muito animadora para os sócios mas é importante para aumentar a probabilidade de captar novos investimentos no futuro e também de conseguir vender a empresa.

9. Cold emails funcionam sim

Eu sempre escutei que o único jeito de chegar em fundos de investimento importantes era através de indicação de conhecidos. Ignorei essa informação e disparei um e-mail para os fundos que nos interessavam, usando o formulário ou e-mail do site mesmo, e para nossa surpresa a maioria respondeu.

Obviamente o e-mail precisa ser bom! Tente colocar uma frase que descreve o seu produto e a suas principais métricas que demonstram tração.

10. O pitch deck não precisa ser lindo

Nosso pitch deck era bem feio. Eu mesmo fiz, e sou péssimo em design. Se você olhar os primeiros decks de muitos unicórnios irá observar o mesmo padrão. O que mais importa, obviamente, é a clareza das informações que você vai colocar ali e os números para corroborar que a sua empresa tem potencial.

11. O que colocar no deck

-problema
-solução
-tração
-porque agora
-que tamanho pode chegar
-time

12. Tração, tecnologia ou time fora da curva

Na minha opinião você precisa que pelo menos um entre tração, tecnologia e time seja excepcional (se tiver mais de um melhor ainda!), caso contrário não vai conseguir captar investimento de investidores profissionais.

Tração: quase sempre precisa ser medida como faturamento ou clientes pagantes, e o ideal é que esteja crescendo mais que 20% mês a mês

Tecnologia: precisa ser algo de ponta, que eu não consiga replicar com $100.000 ou em questão de meses.

Time: um time excepcional é formado por second-time founders, possivelmente com exits, ou com qualificação técnica muito rara

13. Não determine o valuation

Inicialmente nosso deck tinha o valuation que queríamos para essa rodada, até que um grande investidor dos Estados Unidos respondeu meu e-mail dizendo que esse era um erro na opinião dele. Ele sugeriu incluir apenas o valor do investimento que estávamos buscando, deixando a questão do valuation para ser determinada pelo ou com o fundo, pois eles tem muito mais experiência do que nós para achar o número correto. Fizemos isso e de fato os resultados melhoraram muito.

14. Fundraising é um trabalho full time

Se prepare para não conseguir dedicar muitas horas ao seu trabalho “normal” enquanto estiver tentando captar os investimentos. É um processo que exige muito tempo e esforço.

15. Você vai aprender muito

Independente de conseguir fechar os investimentos tenho certeza que você irá aprender muito com o processo. Geralmente você estará fazendo reuniões com pessoas de muito sucesso e com muita experiência, e as dúvidas e feedback delas sobre o seu projeto irão dar muita clareza sobre seus pontos fortes, problemas a serem sanados, possíveis estratégias para o futuro e etc.

16. Cultive mentores ao longo do processo

Muitos dos investidores com quem conversei se disponibilizaram a bater um papo sempre que eu quisesse para pegar feedback ou discutir questões de nosso projeto. Obviamente eu aproveitei essa oportunidade, o que acaba levando praticamente a uma situação de mentoria, que é muito importante para qualquer empreendedor.

Se esqueci de alguma coisa é só deixar um comentário abaixo!

Compartilhe:

Subscribe to my Email Newsletter

My best tips and learnings about startups and entrepreneurship (once a month)


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *